Suco de laranja: quais os fatores de qualidade, e como está o mercado?

Share on facebook
Share on google
Share on linkedin
Share on whatsapp
24/06/2020

O Brasil é o maior produtor de laranja do mundo, a safra 2019/2020 teve uma produção de 384,87 milhões de caixas (de 40,8 kg), e dessa produção, 70% é destinada para a produção de suco. O país é maior exportador de suco de laranja, sendo responsável por três quartos da exportação global.

Uma das principais commodities brasileiras, o suco de laranja brasileiro é exportado para a União Europeia, Estado Unidos, China, Japão, Suíça, Coreia do Sul, entre outros. E essas exportações movimentam mais de US$ 1,5 bilhão por ano.

A indústria de suco brasileira se formou na década de 1960 e foi se consolidando até os anos de 1980, foi também nesse período que o suco de laranja brasileiro começou a ser exportado. Nessa época a pesquisa científica brasileira juntou esforços, e ajudou a indústria com novas tecnologias, tanto de manejo, quanto de variedades melhoradas.

Fatores para uma boa qualidade do suco

O consumidor tem exigências que se alteram durante o tempo. Os hábitos alimentares e o estilo de vida também fazem parte dessa mudança. No entanto, alguns parâmetros são necessários para quantificar e classificar a qualidade dos produtos. Para o suco de laranja, os principais fatores de qualidade são estabelecidos pelas características:

Físico-químicas: quantidade de acidez do suco, quantidade de açúcares e sólidos solúveis (°Brix) e vitaminas;

Organolépticas: sabores, cor, aroma do suco;

Microbiológicas: quantidade de microrganismos contidos no suco.

Além disso, fatores como as atividades de colheita, transporte da fruta, processamento, transporte e armazenamento do suco também influenciam na qualidade final do produto. O clima também é um fator importante e que altera as características da fruta.

Manejos relacionados com a época de colheita também precisam ser levados em conta. Atrasar ou adiantar a colheita pode determinar qual será a acidez (que pode variar de 0,5 – 2 g/ 100 mL de suco) e a quantidade de açúcares do suco (que podem variar de 8 e 16 °Brix).

Quando a colheita é atrasada, por exemplo, há uma diminuição da acidez e da quantidade de água no fruto, deixando o suco mais adocicado. Quanto às características organolépticas, o sabor, cor e aroma do suco sofrem influência desde a produção da fruta.

O sabor é caracterizado pelas quantidades relativas de açúcares (sólidos solúveis) e acidez no suco, sendo que a relação de sólidos solúveis /acidez (ratio) é considerada como um importante índice de maturação dos frutos.

A cor é caracterizada por pigmentos naturais presentes na polpa dos frutos, principalmente os carotenoides. Esses pigmentos que podem deixar o suco com uma cor mais intensa ou não. Além disso, os carotenoides são ótimos aliados para a nutrição humana. Têm uma grande capacidade antioxidante e podem ser fonte da vitamina A.

Já o aroma é dado por diferentes fatores, é a junção da presença de compostos voláteis e do sabor. O suco de laranja tem um aroma característico e sofre algumas alterações dependendo de como a fruta e o suco são processados.

Agora, falando em microrganismos, o suco de laranja pode ser afetado pela ação deles. Fungos, leveduras e bactérias, principalmente, podem causar odor forte e sabor desagradável ao suco. A multiplicação desses organismos gera a produção de CO2 e etanol, formando películas no suco e alteram seu aroma, deixando com odor fermentado.

No campo, os microrganismos também são um problema. Doenças, como o greening, podem influenciar na qualidade dos sucos. Já foi comprovado que o greening pode interferir no sabor dos frutos, e apresentar características de “sabor metalizado”. Essa doença afeta toda a planta, causa entupimento dos vasos condutores e com isso diminui a disponibilidade de nutrientes para a planta.

O greening também afeta a formação dos frutos, ocasionando frutos deformados, com baixa quantidade de suco e casca bastante espessa. A doença ainda faz com que haja grande queda de frutos e a produtividade do pomar seja reduzida.

A doença é de difícil controle e não tem cura. Porém práticas de manejo podem ser adotadas para ajudar a driblar esses problemas. Uma planta bem nutrida também é muito importante para ajudar na estabilidade da produção..

GRANBLACK

Entre produtividade e longevidade, fique com ambos

Produção e consumo global de suco

O consumo global de sucos de frutas, em 2018, foi de 37,23 bilhões de litros. Destes, o suco de laranja se destacou e teve a preferência dos consumidores, representando 43,8% desse mercado.

Mesmo assim, alguns países têm reduzido o suco de laranja nas suas dietas, com o passar dos anos.  A diminuição do consumo foi cerca de 23% nos maiores mercados importadores do Brasil, onde estão presentes os Estados Unidos e países da União Europeia. 

Por outro lado, países da América do Sul tiveram um aumento do consumo de suco de laranja. A Colômbia, por exemplo, aumentou seu consumo em 16% e o mercado interno brasileiro consumiu 8,5% mais suco de laranja, quando comparamos os anos de 2017 e 2018. Ademais, o consumo do suco subiu cerca de 20% nas exportações nacionais neste ano de 2020.

De maneira geral, países com a economia emergente tem aumentado seu consumo de suco de laranja. A China representa o quarto maior mercado consumidor de suco de laranja do mundo. Os países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), mais o México tiveram uma taxa de crescimento anual de 3,71% entre 2003 e 2018. Países como Marrocos, Indonésia, Argentina, Turquia, Chile, Romênia e Filipinas mais que dobraram seu consumo desde 2003.

Cada vez mais o mercado se torna mais exigente, a procura por alimentos sem adição de açúcar, que sejam funcionais e que se adequem a estilos de vida mais saudáveis faz também com que a indústria tenha necessidade de se adequar.

Texto por:

Deixe um comentário:

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos diretamente em seu e-mail.